Rebanho de Sonhos


Meu rebanho de sonhos
desce vales, sobe montanhas,
bebe brisas, come castanhas,
inventa sendas e sombras.

Meu rebanho de sonhos
feito brancas ovelhas
- lã de neve e luar -
lambe lumes de estrelas
e rumina tempo, devagar.


Meu rebanho de sonhos
segue aromas de amoras
e rumores de amores
nas redomas do sono.

Meu rebanho de sonhos
não sei para onde sai
nem sei de onde vem,
como nuvem se esvai

ao léu sob o véu do além.

(poema inédito em livro)

2 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Pastores às vezes nem podemos ser, Wilson, dos sonhos gu guiamos...
Belo!
Beijos,

Verso Aberto disse...

abano de estrelas
aceno de poesia

abs mano Wilson