Cena




Hoje eu vi um menino
catando numa lata de lixo
um pedaço duro de pão.


Meu olhar úmido
de lata o meu coração


e a mão do pequeno
me revolvendo por dentro
me provocando a náusea
da fome e suas causas.


Tive ímpeto de avançar
sobre o serzinho rabugento
e arrancar-lhe dos dedos
aquele resto sujo de minha
indignidade!



FAZENDA



No fundo do quintal
corria um rego
de águas friinhas.

As galinhas bicavam
pedacinhos de águas
e agradeciam.

Os canarinhos
pintavam de amarelo
os verdes do terreiro,
pareciam árvores
bordadas de estrelas.

Eu tinha alegrias
e medos.

Um dia um beija-flor
bicou-me os dedos:

nasceu-me poesia

desde os cabelos. 

A Deus, meu Pai (para o Roberto Lima)


Quando meu pai
me deu adeus,
eu dei a Deus meu pai.

E confiei no seu destino
superior.

De Deus somos herança
e se Ele não cuidar
do que é seu

não merece nossa confiança.